Sumário

Entre em contato com um especialista

    Contrato de confidencialidade

    contrato de confidencialidade

    O que é contrato de confidencialidade?

    Na era da informação em que estamos inseridos, muitas vezes os dados e informações sobre a empresa são muito mais valiosas até mesmo que dinheiro. Mesmo parecendo coisa de filme, as informações confidenciais podem ser um dos pontos que mantêm a sustentabilidade da empresa.

    Para isso, as empresas têm se munido de meios e formas de manter a confidencialidade de suas informações, a mais conhecida delas é o contrato de confidencialidade.

    Esse contrato tem a função de evitar vazamento de dados e informações de um projeto ou da própria empresa na totalidade. Por esse motivo, é muito usado nas empresas, principalmente ao contratarem o serviço de outra empresa.

    Portanto, é importante que se conheça como funciona um contrato de confidencialidade antes que se faça a contratação de um serviço terceirizado, por exemplo. Isso irá beneficiar ambas as empresas, evitando o vazamento de dados e definindo as regras, o que irá proteger ambas as partes.

    O contrato de confidencialidade é usado para preservar informações de uma pessoa ou empresa a partir do momento em que essas informações são compartilhadas com o intuito de se atingir um objetivo em comum.

    É possível compartilhar documentos, informações, enviar fotos e arquivos de maneira segura. Sem o risco desses dados serem vazados para o público ou para concorrentes.

    Esse acordo pode ser firmado de diversas maneiras e em diversos níveis diferentes. Onde o nível irá depender das informações que deverá ficar em sigilo. Um exemplo nesse sentido são os empreendedores e startups, que utilizam o contrato de confidencialidade como um meio de proteger e blindar as suas ideias. Seja na produção de sites, aplicativos ou qualquer outro serviço prestado.

    O contrato de confidencialidade pode ser utilizado em diversas situações. Regendo relações entre uma empresa e uma pessoa, organização ou mesmo de empresa para empresa.

    Onde, no caso de contratação de uma empresa terceirizada para o desenvolvimento de um aplicativo, poderá ser firmado um contrato de não divulgação com a intenção de que toda a ideia da empresa contratada seja mantida e creditada.

    Assim, para os mais variados fins, existem diversos tipos de contrato de confidencialidade. Dessa forma, cada um terá suas respectivas características que serão necessárias para suprir as necessidades de segurança das informações que serão compartilhadas.

    Existem três tipos básicos de contrato de confidencialidade, o unilateral, o bilateral, assim como o multilateral. Esses tipos de contrato podem ser alterados para que se possa atender as necessidades que as partes apresentam.

    Este tipo de contrato é utilizado, principalmente, quando apenas uma das partes tem informações que deseja manter em sigilo. Como na terceirização do desenvolvimento de um aplicativo, é importante se pedir que um acordo possa assegurar que a ideia permaneça em segredo durante sua produção.

    Para isso, o prestador de serviço deve se comprometer a manter as informações do projeto protegido contra vazamentos. Além disso, mai”.

    Como fazer um contrato de confidencialidade?

    NDA, do inglês Non-Disclosure-Agreements, é um termo de confidencialidade que garante que as informações estratégicas da sua empresa não sejam divulgadas indevidamente. Seu diferencial competitivo é formado por inúmeros pequenos processos, arquivos, informações, dados e decisões. Por isso, garantir o sigilo disso tudo é vital para sua empresa.

    Você, certamente, já ouviu falar da receita secreta da Coca-Cola. Sempre tem aquela avó que faz um bolo incrível, passa a receita mas quando você faz, nunca fica igual, porque o “segredinho” não está entre os ingredientes.

    E aquelas perguntas que você se faz quando vê um trabalho do concorrente sendo vendido a preço muito baixo: “Como será que ele consegue ganhar dinheiro”?

    Existem diferentes situações, na vida pessoal e na profissional, em que nos deparamos com mistérios. Se resolvidos, perdem valor, porque podem ser replicados.

    Por isso, sua empresa precisa garantir que informações importantes para mantê-la competitiva não sejam compartilhados com o mercado.

    Para isso, existe o NDA, também conhecido como termo de confidencialidade. Ele pode ser aplicado para funcionários, fornecedores e clientes, como um documento à parte ou cláusula prevista em contrato. Quer uma gestão eficiente de contratos? Leia o artigo: Aprenda a fazer a gestão do ciclo de vida de contratos. Entenda como o NDA pode ajudar na competitividade da sua empresa:

    Boa leitura!

    Termo de Confidencialidade significa que a pessoa contratada não tem o direito de divulgar as informações às quais terá acesso, salvo explícita permissão.

    Ou seja: é um documento, com aplicação legal como um contrato, que garante que todos os dados estratégicos da empresa devem ser confidenciais, mantidos sob sigilo do mercado.

    Termo de Confidencialidade é um documento entre duas partes, que visa proteger dados estratégicos da parte contratante.

    Assim, a parte contratada assume o compromisso de não divulgar as informações às quais terá acesso em determinado projeto ou por algum período específico.

    O documento, também conhecido como NDA, prevê um multa em caso de descumprimento, geralmente expressa em um valor monetário.

    O acordo de confidencialidade é essencial para proteger as empresas em relação a diferentes aspectos, como processos, documentos, valores aplicados, projetos, produtos, estratégias comerciais, etc.

    Ainda que alguns casos possam ser protegidos por patentes, registros ou leis de direitos autorais (como o caso da receita da Coca-Cola, que mencionamos), a grande maioria das informações não estão cobertas, e precisam de um NDA para se manterem seguras.

    NDA protege as informações estratégicas da empresa, garantindo inúmeros benefícios:

    • O que ninguém conhece, ninguém copia. Ademais, informações referentes a processos ou até mesmo a valores cobrados podem ser preciosas para sua concorrência!

    Se você

    Como funciona a confidencialidade?

    Atualmente, diversas empresas estão optando pela adoção da confidencialidade com intuito de resguardar seus processos sigilosos. São situações em que essa medida é necessária para evitar algum tipo de prejuízo aos empreendimentos. A prática se justifica diante de um cenário cada vez mais competitivo, em que é necessário buscar as mais variadas formas de proteção possível. Por isso, neste post, detalharemos mais sobre confidencialidade, sua importância nos negócios e como ela pode ser estratégica para a sua empresa. Boa leitura!

    A confidencialidade é definida em um termo por meio do qual as partes se comprometem a manter o sigilo de determinadas informações trocadas enquanto dura a execução de um projeto, negócio ou atividade combinado entre os envolvidos. É por intermédio desse instrumento que os contratantes procuram evitar a publicação ou divulgação de informações confidenciais. Sendo assim, o modelo pode ser adaptado para uso tanto de empresas quanto associações e pessoas jurídicas em geral.

    Conforme dito, basicamente, podemos entender confidencialidade como um atributo que envolve informações vitais para o desempenho seguro de uma empresa. São conteúdos que, se vazados, podem prejudicar seriamente seus negócios. Por isso, há a necessidade de protegê-los.

    Sendo assim, selecionamos alguns exemplos:

    • Se expostas ao público, informações como essas podem prejudicar a imagem da empresa ou tornar seus processos e estratégias abertos aos concorrentes, destruindo uma possível vantagem competitiva.
    • Outras podem modificar o status quo do mercado e atrapalhar a conclusão de uma transação importante.

    É necessário ter em mente que ações de segurança são essenciais para proteger os negócios desses riscos. Com a evolução da tecnologia da informação, as oportunidades de vazamento de informações se multiplicaram, tornando-se mais complicada sua proteção devido à velocidade com que podem se espalhar.

    As constantes inovações e aperfeiçoamentos técnicos indispensáveis ao desenvolvimento de qualquer atividade levaram muitas empresas a terceirizar seus processos. Com isso, tornou-se vital que as partes contratantes consolidassem suas parcerias por meio de um contrato complementado com um termo de confidencialidade, também conhecido por Non Disclosure Agreement (NDA).

    Dessa forma, a parte que fornece os serviços passa a conhecer determinados procedimentos, técnicas do negócio da outra parte, métodos de trabalho e outros detalhes, muitas vezes, de caráter sigiloso. Na maioria das vezes, essa abertura é inevitável, já que, para desenvolver um trabalho corretamente, é preciso estar por dentro das informações pertinentes.

    Sendo assim, a importância do termo de confidencialidade reside no aspecto de proteção da empresa contra vazamento de dados, limitando seu uso. O termo, então, propõe obrigações para as partes contratantes e define as devidas penalidades, caso aconteça alguma quebra de sigilo ou descumprimento do acordo. A penalização pode ser determinada pelo pagamento de uma m.

    O que o termo de confidencialidade pode proteger?

    A elevada competitividade do mundo corporativo faz com que seja necessário adotar medidas especiais para garantir a proteção das informações estratégicas de uma empresa. Projetos inovadores e segredos industriais, por exemplo, precisam ser mantidos em sigilo ao máximo, sob o risco de comprometer o sucesso do negócio. Nesse cenário, pode ser uma ótima ideia adotar um termo de confidencialidade.

    Para fazer um bom uso desse recurso, no entanto, é importante entender o que é esse documento e como ele funciona, além de saber em que situações ele é recomendado. Isso é fundamental para que o termo de confidencialidade tenha o efeito jurídico esperado. Quer conhecer melhor esse assunto? Este post traz informações essenciais sobre esse tipo de documento para você se preparar e começar a adotá-lo quando for preciso. Acompanhe!

    O termo, ou acordo de confidencialidade, é um documento firmado entre duas ou mais partes com o objetivo de manter determinadas informações em sigilo. Também chamado de NDA — sigla em inglês que significa “Non Disclosure Agreement” (acordo de não divulgação) —, costuma ser muito usado para proteger informações que podem comprometer o andamento ou sucesso dos negócios.

    Existem três tipos de termo de confidencialidade, que listamos a seguir.

    • Bilateral: Nesse caso, o acordo visa manter em sigilo informações de apenas uma das partes envolvidas. Assim, quem vai ter acesso a esses dados deve se comprometer a jamais divulgá-los sem autorização. Quando uma empresa contrata um consultor que precisa ter acesso a informações confidenciais, por exemplo, esse profissional pode ser requisitado a assinar um NDA.
    • Multilateral: Esse tipo é utilizado para proteger informações de ambas as partes envolvidas. Costuma ser usado quando empresas se unem em uma parceria comercial e, para isso, precisam compartilhar informações sigilosas entre si. Os dois lados então assinam o termo de confidencialidade.
    • Acordo multilateral: O acordo multilateral é bastante similar ao bilateral, também servindo para proteger os dados sigilosos de ambas as partes. Porém, no multilateral, os envolvidos têm graus de comprometimento distintos.

    O termo de confidencialidade é importante para que as empresas consigam traçar e executar suas estratégias sem correr o risco de que o vazamento de informações atrapalhe o processo. Esse documento fica responsável por impedir que quem tem acesso aos dados os divulgue indevidamente ou até mesmo os use para prejudicar o negócio.

    Quando uma empresa está desenvolvendo um produto inovador, por exemplo, a confidencialidade é importante para garantir sua vantagem competitiva. O mesmo acontece quando é preciso fazer a apresentação de um produto a um cliente. Firmar o acordo antes do compartilhamento das informações serve para que isso seja feito de forma mais segura.

    Outra situação que demonstra a importância do termo de confidencialidade é a contratação de colaboradores. Quando o profissional tem acesso a dados sigilosos no exercício das suas funções, a empresa pode requerer a assinatura do NDA para imp.

    Quais os tipos de contratos de confidencialidade?

    Ao assistir algum programa, filme ou série policial, sempre nos deparamos com os famosos arquivos confidenciais. Isso pode nos dar a ideia de que se trata de algo perigoso ou de uma missão secreta. Porém, esse tipo de documento não está presente somente nas ficções, pois as negociações e o desenvolvimento de aplicativos também estão sujeitos ao sigilo pelos variados motivos.

    Até que uma novidade seja lançada, empresas costumam adotar esse segredo, e como os aplicativos são aliados essenciais no meio empresarial, a falta de um contrato de confidencialidade é sinônimo de risco. Continue lendo e entenda sobre os tipos de contratos e quando usá-los.

    O NDA (Non Disclosure Agreements), vulgo contrato de confidencialidade é usado para preservar informações de uma pessoa ou empresa a partir do momento que essas informações são compartilhadas para atingir um objetivo comum, sendo possível compartilhar documentos, informações, enviar fotos e arquivos de maneiras segura.

    O acordo pode ser firmado de diversas maneiras e em diversos níveis diferentes. Tudo depende das informações que precisam ficar em sigilo. Nesse sentido, a maioria de novos empreendedores e startups começaram a utilizar o contrato de confidencialidade para se proteger e blindar suas ideias, seja na produção de sites, aplicativos ou qualquer serviço prestado.

    O contrato de confidencialidade pode ser empregado em situações diferentes, seja por uma pessoa, organização ou até mesmo de empresa para empresa. Se uma empresa deseja terceirizar o desenvolvimento de um aplicativo, por exemplo, um acordo de não divulgação será firmado com a intenção de que toda a sua ideia será mantida e creditada.

    Ele pode ser elaborado entre as seguintes partes:

    • Empresa e funcionário
    • Empresa e fornecedor
    • Empresa e parceiro comercial
    • Empresa e investidor

    O contrato de confidencialidade também pode ser integrado a um acordo geral. Em uma transação de prestação de serviços entre pessoas jurídicas, por exemplo, é criado um contrato de vinculação e é possível incluir uma cláusula sobre confidencialidade no mesmo documento.

    Essa cláusula em relação ao contrato de confidencialidade pode especificar as informações principais que devem ser mantidas em segredo pelo prestador de serviços e até mesmo pela organização.

    Assim como qualquer documento jurídico, é ideal que o contrato seja elaborado por um advogado especializado ou uma assessoria jurídica. Isso garantirá que o documento esteja devidamente detalhado, evitando problemas com brechas e vazamentos de informações confidenciais. Caso contrário, é recomendado que a empresa ou o empregador envie esse documento para a análise de um profissional da área jurídica de confiança.

    Esse tipo de contrato pode ser considerado uma maneira de se blindar e também avaliar a empresa contratada e o desenvolvimento de serviços e produtos, entre eles aplicativos móveis.

    Existem dois tipos básicos de contratos de confidencialidade. Ele pode ser unilateral ou bilateral. Quando se fala em aplicativos ou produção de sites, por exemplo, o contrato de confidencialidade pode receber algumas modificações.

    Como fazer um contrato de confidencialidade?

    Na era da informação em que estamos inseridos, muitas vezes os dados e informações sobre a empresa são muito mais valiosas até mesmo que dinheiro. Mesmo parecendo coisa de filme, as informações confidenciais podem ser um dos pontos que mantêm a sustentabilidade da empresa.

    Para isso, as empresas têm se munido de meios e formas de manter a confidencialidade de suas informações, a mais conhecida delas é o contrato de confidencialidade.

    Esse contrato tem a função de evitar vazamento de dados e informações de um projeto ou da própria empresa na totalidade. Por esse motivo, é muito usado nas empresas, principalmente ao contratarem o serviço de outra empresa.

    Portanto, é importante que se conheça como funciona um contrato de confidencialidade antes que se faça a contratação de um serviço terceirizado, por exemplo. Isso irá beneficiar ambas as empresas, evitando o vazamento de dados e definindo as regras, o que irá proteger ambas as partes.

    O contrato de confidencialidade é usado para preservar informações de uma pessoa ou empresa a partir do momento em que essas informações são compartilhadas com o intuito de se atingir um objetivo em comum.

    É possível compartilhar documentos, informações, enviar fotos e arquivos de maneira segura. Sem o risco desses dados serem vazados para o público ou para concorrentes.

    Esse acordo pode ser firmado de diversas maneiras e em diversos níveis diferentes. Onde o nível irá depender das informações que deverá ficar em sigilo. Um exemplo nesse sentido são os empreendedores e startups, que utilizam o contrato de confidencialidade como um meio de proteger e blindar as suas ideias. Seja na produção de sites, aplicativos ou qualquer outro serviço prestado.

    O contrato de confidencialidade pode ser utilizado em diversas situações. Regendo relações entre uma empresa e uma pessoa, organização ou mesmo de empresa para empresa.

    Onde, no caso de contratação de uma empresa terceirizada para o desenvolvimento de um aplicativo, poderá ser firmado um contrato de não divulgação com a intenção de que toda a ideia da empresa contratada seja mantida e creditada.

    Assim, para os mais variados fins, existem diversos tipos de contrato de confidencialidade. Dessa forma, cada um terá suas respectivas características que serão necessárias para suprir as necessidades de segurança das informações que serão compartilhadas.

    Existem três tipos básicos de contrato de confidencialidade, o unilateral, o bilateral, assim como o multilateral. Esses tipos de contrato podem ser alterados para que se possa atender as necessidades que as partes apresentam.

    Este tipo de contrato é utilizado, principalmente, quando apenas uma das partes tem informações que deseja manter em sigilo. Como na terceirização do desenvolvimento de um aplicativo, é importante se pedir que um acordo possa assegurar que a ideia permaneça em segredo durante sua produção.

    Sou obrigado a assinar um termo de confidencialidade?

    No contexto corporativo, as informações têm muito valor e, por isso, são necessárias medidas para assegurá-las. O termo de confidencialidade, neste sentido, vem para garantir formalmente o sigilo necessário para o bom andamento do negócio.

    Este termo é capaz de assegurar, juridicamente, a segurança da informação sobre projetos empresariais e privados que, se não forem mantidos em segredo, podem trazer graves impactos às corporações.

    Para saber tudo sobre o termo de confidencialidade e fazer o bom uso dessa possibilidade, é importante entender todos os seus aspectos, que serão explicados neste artigo. Para melhor entendimento, o texto está separado nos seguintes tópicos:

    Tenha uma ótima leitura

    O termo de confidencialidade ou NDA, sigla em inglês que significa Non Disclosure Agreement (acordo de não divulgação), é um acordo assinado em organizações para garantir a proteção de suas informações.

    A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) trouxe mais relevância a esse assunto, já que o debate sobre a garantia dos direitos fundamentais de liberdade e privacidade tem sido bastante presente no cenário jurídico.

    Geralmente, o termo de confidencialidade estabelece as condições para o uso, o compartilhamento e o armazenamento das informações confidenciais, assim como as penalidades aplicáveis no caso de violação do acordo.

    O termo de confidencialidade serve para estabelecer as obrigações de confidencialidade e as medidas de segurança que devem ser tomadas pelos envolvidos. Ele é usado sempre em situações em que informações sensíveis ou estratégicas precisam ser compartilhadas entre duas ou mais partes, como em acordos comerciais, parcerias ou contratos de prestação de serviços.

    Ele também pode ser usado em relações empregador e empregado, em que o funcionário deve manter a confidencialidade das informações do empregador sobre algum projeto em que esteja trabalhando ou sobre alguma informação que tenha tido acesso.

    A importância de ter um termo de confidencialidade é proteger as informações confidenciais e evitar a divulgação não autorizada destas. Uma informação “vazada” pode comprometer totalmente o sucesso de um projeto.

    O termo de confidencialidade pode ser utilizado em várias situações, como acordos comerciais e contratos de trabalho ou de prestação de serviços.

    Há muitos tipos de contratos de confidencialidade, dependendo do contexto e dos interesses das partes envolvidas. O grau de confidencialidade não é, neste caso, um critério para diferenciar os termos. Aqui estão alguns exemplos:

    Um acordo unilateral prevê que uma das partes mantenha as informações confidenciais da outra parte em segredo. Isso é comum em situações em que uma empresa ou indivíduo precisa compartilhar informações confidenciais com um consultor, fornecedor ou parceiro de negócios.

    Por exemplo, uma agência de publicidade trabalhará para o lançamento de um produto em determinada empresa. Para que ela possa ter acesso às informações deste produto, é preciso que assine um termo de confidência.

    O que o termo de confidencialidade pode proteger?

    A elevada competitividade do mundo corporativo faz com que seja necessário adotar medidas especiais para garantir a proteção das informações estratégicas de uma empresa. Projetos inovadores e segredos industriais, por exemplo, precisam ser mantidos em sigilo ao máximo, sob o risco de comprometer o sucesso do negócio. Nesse cenário, pode ser uma ótima ideia adotar um termo de confidencialidade.

    Para fazer um bom uso desse recurso, no entanto, é importante entender o que é esse documento e como ele funciona, além de saber em que situações ele é recomendado. Isso é fundamental para que o termo de confidencialidade tenha o efeito jurídico esperado.

    Quer conhecer melhor esse assunto? Este post traz informações essenciais sobre esse tipo de documento para você se preparar e começar a adotá-lo quando for preciso. Acompanhe!

    O termo, ou acordo de confidencialidade, é um documento firmado entre duas ou mais partes com o objetivo de manter determinadas informações em sigilo. Também chamado de NDA — sigla em inglês que significa “Non Disclosure Agreement” (acordo de não divulgação) —, costuma ser muito usado para proteger informações que podem comprometer o andamento ou sucesso dos negócios.

    Existem três tipos de termo de confidencialidade, que listamos a seguir:

    1. Bilateral: Nesse caso, o acordo visa manter em sigilo informações de apenas uma das partes envolvidas. Assim, quem vai ter acesso a esses dados deve se comprometer a jamais divulgá-los sem autorização. Quando uma empresa contrata um consultor que precisa ter acesso a informações confidenciais, por exemplo, esse profissional pode ser requisitado a assinar um NDA.
    2. Multilateral: Esse tipo é utilizado para proteger informações de ambas as partes envolvidas. Costuma ser usado quando empresas se unem em uma parceria comercial e, para isso, precisam compartilhar informações sigilosas entre si. Os dois lados então assinam o termo de confidencialidade.
    3. Acordo multilateral: O acordo multilateral é bastante similar ao bilateral, também servindo para proteger os dados sigilosos de ambas as partes. Porém, no multilateral, os envolvidos têm graus de comprometimento distintos.

    O termo de confidencialidade é importante para que as empresas consigam traçar e executar suas estratégias sem correr o risco de que o vazamento de informações atrapalhe o processo. Esse documento fica responsável por impedir que quem tem acesso aos dados os divulgue indevidamente ou até mesmo os use para prejudicar o negócio.

    Quando uma empresa está desenvolvendo um produto inovador, por exemplo, a confidencialidade é importante para garantir sua vantagem competitiva. O mesmo acontece quando é preciso fazer a apresentação de um produto a um cliente. Firmar o acordo antes do compartilhamento das informações serve para que isso seja feito de forma mais segura.

    Outra situação que demonstra a importância do termo de confidencialidade é a contratação de colaboradores. Quando o profissional tem acesso a dados sigilosos no exercício das suas funções, a empresa pode requerer a assinatura do NDA para imp

    Veja mais
    Sobre aposentadoria do inss

    Qual é a nova regra da aposentadoria do INSS? Reforma da Previdência, em vigor desde 2019, trouxe alterações nos requisitos para pedir aposentadoria Publicado em

    Leia mais >
    Sobre aposentadoria

    Quais as regras para se aposentar hoje? Reforma da Previdência, em vigor desde 2019, trouxe alterações nos requisitos para pedir aposentadoria Publicado em 05/01/2024 13h18

    Leia mais >
    Abrir bate-papo
    Fale com um especialista!
    Olá 👋 , tudo bem ?
    Parece que você está precisando de ajuda! Estamos aqui para ajudá-lo a resolver qualquer dúvida ou problema que esteja enfrentando. Clique aqui para falar com um dos nossos especialistas e encontrar a solução que você precisa. Não hesite, estamos prontos para ajudar!