Sumário

Entre em contato com um especialista

    Análise previdenciária

    análise previdenciária

    Quanto custa uma análise previdenciária?

    Você sabia que pode aumentar de forma significativa o valor da sua aposentadoria com o planejamento previdenciário? O planejamento de aposentadoria é a maneira de saber como obter o melhor benefício do INSS.

    Você sabia que existe a possibilidade de pagar menos como contribuição ao se organizar para dar entrada no benefício?

    Após a reforma previdenciária em 13 de novembro de 2019, criando com isso a Nova Previdência, onde as regras de aposentadoria foram drasticamente alteradas, se tornou essencial a realização do planejamento previdenciário aos segurados do INSS. Este serviço permite não apenas você saber qual o maior benefício do INSS a ser alcançado, mas principalmente a sua melhor aposentadoria.

    Com a orientação correta e especializada, é possível alcançar vantagens consideráveis ao solicitar a aposentadoria no INSS.

    Um especialista deverá analisar toda a sua documentação, e com isso trazer um estudo completo de quando será o momento de atingir a sua melhor aposentadoria. E, mesmo que já esteja recebendo o benefício, pode revisar o valor recebido e entender se ele é mesmo a melhor opção para seu perfil e histórico de contribuição.

    O planejamento de aposentadoria é essencial para autônomos e facultativos, onde saberão qual o melhor momento para aposentar-se e o quanto devem contribuir ao INSS. Porém, com a reforma previdenciária ele se mostra também indispensável para o trabalhador celetista.

    Quer saber o que é e como funciona o planejamento previdenciário em 2022? Quer obter a melhor aposentadoria do INSS? Então, acompanhe este conteúdo até o fim e descubra tudo sobre a estratégia que pode mudar para sempre a sua aposentadoria.

    Planejamento previdenciário é uma estratégia de análise das informações do contribuinte com o objetivo de determinar o melhor momento para solicitar a concessão de aposentadoria. Feito através de um estudo documental de toda atividade do trabalhador junto ao INSS, é estabelecido se já é o melhor momento de se aposentar, ou se ainda não for o momento, quando será, por quanto tempo deverá contribuir ao INSS e por quais valores.

    Sendo assim, é permitida uma avaliação aprofundada sobre as reais possibilidades às quais o filiado tem direito, entendendo qual delas é a mais interessante para seus propósitos com o benefício. Assim, o planejamento torna possível saber qual tipo de aposentadoria é mais vantajoso para o solicitante no menor espaço de tempo possível.

    O planejamento é um estudo minucioso de como (e quais valores) recolher, quando se aposentar, com quanto irá se aposentar e quais valores poderá receber se antecipar a sua aposentadoria antes de atingir um valor mais alto. Nem sempre o melhor benefício é o maior. Em muitos casos o segurado acredita que o melhor é esperar, mas ele está perdendo dinheiro ao adiar a sua aposentadoria, como existem casos em que se ele esperar poucos meses ou anos pode dobrar o valor do benefício.

    Planejamento previdenciário.

    Quanto tempo o benefício fica em análise?

    Nos últimos 12 meses, o tempo médio de concessão de aposentadorias, pensões, salário-maternidade e auxílios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) caiu de 79 para 47 dias, segundo o Portal da Transparência Previdenciária. O resultado de dezembro de 2023 aproxima o instituto do prazo de 45 dias estipulado pela lei para análise de requerimentos.

    O levantamento leva em conta os pedidos que estão no estoque, sem incluir aqueles que estão em exigência, aguardando o envio de alguma documentação do segurado.

    Houve queda também na fila do INSS, com número de pedidos de análise passando de 1,6 milhão para 1,5 milhão. Deste total, mais de 538 mil pedidos são de auxílio por incapacidade temporária, que precisam ou não de perícia médica.

    Para o governo federal, o recuo dos números vai continuar nos próximos meses e é uma resposta positiva às ações implementadas para cumprir o prazo legal, como a simplificação de requerimentos pelo Meu INSS; a implantação do Atestmed —que substitui a perícia presencial pela análise documental—, e mutirões de atendimento nas agências da Previdência.

    Embora a maioria dos pedidos dependa do INSS para serem concedidos ou indeferidos, muitos estão parados porque o segurado deve enviar algum documento complementar. Preencher corretamente os dados evita que o pedido de concessão caia em exigência ou seja indeferido.

    O trabalhador à espera de um benefício deve ficar atento ao status do seu pedido, conferir se a documentação foi recebida e se preparar parar ter documentos comprobatórios à mão caso seja chamado para cumprir alguma exigência.

    O cumprimento de exigências é informado ao segurado por meio de carta, email e pelo Meu INSS (aplicativo ou site).

    O prazo para responder ao instituto com as informações solicitadas é de 30 dias, contados a partir da data da ciência pelo interessado. Este prazo poderá ser prorrogado desde que haja solicitação formal e justificada do interessado. Se perder o prazo da entrega dos documentos solicitados, o trabalhador terá o pedido extinto.

    Em dezembro do ano passado, mais de 84,5 mil pedidos estavam na fila de exigências há mais de 45 dias.

    Documentos todos certos agilizam a análise e a liberação do benefício por parte do INSS. Quando isso não acontece, cria-se um problema para o segurado, que não terá a concessão, e para o INSS também, pois a fila de espera não anda.

    No caso da aposentadoria por tempo de contribuição, as pendências mais comuns detectadas pelos servidores do INSS que analisam os requerimentos são a falta de comprovação de período de recolhimento das contribuições previdenciárias e quando o segurado não anexa a Carteira de Trabalho no pedido de concessão.

    Já nos pedidos de benefício por incapacidade (auxílio-doença), o grande complicador que pode levar ao indeferimento da concessão é a falta da data de afastamento do trabalho no requerimento.

    Segundo levantamento da Previdência, 48% dos pedidos feitos no mês passado ao INSS foram indeferidos por falta do direito ou de alguma informação no.

    Quanto tempo demora a análise documental do INSS?

    Segurado do Rio de Janeiro teve o auxílio liberado em apenas seis dias após o pedido feito via aplicativo Meu INSS

    Publicado em 14/02/2024 16h33

    Atualizado em 05/04/2024 10h41

    O segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que usou o Atestmed tem esperado por menos tempo para ter a concessão do auxílio por incapacidade temporária, o antigo auxílio-doença. Segundo a Diretoria de Benefícios e Relacionamento com o Cidadão (Dirben), o Tempo Médio de Concessão (TMC) foi de 26 dias no mês de dezembro do ano passado em todo o país. Em novembro, o período médio de espera estava em 28 dias. Somente no ano passado, 627.620 benefícios por incapacidade temporária foram concedidos por meio do Atestmed pelo INSS em todo o país. O mês de dezembro registrou a maior quantidade de concessões com 113.498 pedidos deferidos. No mês de novembro foram aceitos 111.225 benefícios sem a necessidade de perícia presencial. Ao longo de todo o ano passado, segundo a Dirben do INSS, foram protocolados 1.386.864 pedidos de concessão por meio do Atestmed em todo o país. O mês de novembro foi o campeão de pedidos: 202.677.

    Os benefícios liberados via Atestmed, que diz respeito ao auxílio-doença e, na maioria das vezes, não é de alta complexidade, contribuem para que os médicos peritos examinem os casos de alta complexidade. O Atestmed não é inimigo do perito, é um aliado e beneficia todos os brasileiros

    explica o presidente do INSS, Alexandre Stefanutto.

    Mas há situações em que a solicitação por meio do mecanismo que substitui o atendimento médico-pericial por análise documental para benefícios de até 180 dias, é concedida em espaço de tempo bem menor que a média de 26 dias. É o caso do representante comercial Ricardo Farias Barcelos, 55 anos, do Rio de Janeiro, que após ser submetido a uma delicada e complexa cirurgia de transplante de rins em janeiro desde ano, recorreu a um direito que toda pessoa que contribui para Previdência Social tem: receber um benefício do INSS.

    Todo o procedimento de Barcelos foi feito por meio do Atestmed. Ele disse que foi surpreendido pela agilidade na liberação do seu pedido de concessão. O segurado fez o requerimento do auxílio por incapacidade temporária em 31 de janeiro e a liberação ocorreu no dia 6 de fevereiro deste ano.

    “Eu tive uma surpresa muito positiva com a concessão rápida do meu benefício. Não esperava que fosse tão ágil. Minha expectativa era que iria demorar para ter o benefício concedido por conta da fila do INSS que todo mundo fala que existe. Tinha uma imagem distorcida. O INSS está de parabéns”, afirma o segurado, que teve o benefício concedido por 60 dias, período que foi recomendado pelo médico que emitiu o atestado apresentado e deferido pelo INSS.

    O representante comercial fez o pedido por meio do aplicativo Meu INSS e relata que não encontrou dificuldades no procedimento. Na sua avaliação, o aplicativo é muito acessível e fácil de ser usado.

    Como funciona o planejamento previdenciário?

    Você já ouviu falar sobre o planejamento previdenciário? Se você está perto de se aposentar ou deseja se aposentar com segurança no futuro, deve conhecer essa estratégia que pode antecipar ou até mesmo aumentar o valor do seu benefício.

    Muitas pessoas deixam para entender os seus direitos previdenciários somente quando acreditam que já podem dar entrada na aposentadoria. Porém, isso é algo bastante perigoso. O valor da sua aposentadoria depende do seu próprio histórico previdenciário e você pode ajustá-lo de modo a garantir uma aposentadoria mais cedo ou até mesmo para gerar uma renda maior no futuro.

    Em alguns casos, o planejamento previdenciário também pode ajudar a economizar dinheiro com estratégias para reduzir contribuições. Portanto, se você quer se aposentar com segurança, é essencial planejar a sua aposentadoria.

    Para entender o que é o planejamento previdenciário, hoje vou explicar para que serve, quem deve fazer, qual o momento correto e até mesmo o investimento necessário. Ficou interessado? Neste texto, você vai descobrir:

    O planejamento previdenciário é um estudo do seu histórico previdenciário elaborado por um advogado especialista em Direito Previdenciário que permite identificar o melhor momento para a sua aposentadoria e o que você deve fazer para receber um benefício com o maior valor possível.

    Este estudo do seu histórico previdenciário inclui a análise dos seguintes aspectos:

    Ao final do estudo, o planejamento previdenciário se torna um parecer jurídico em forma de relatório com projeções, cenários e simulações de aposentadoria que ajudam o contribuinte a entender seus direitos e adotar a melhor decisão em relação a este momento tão importante da sua vida.

    Ao contrário do que muitos pensam, o valor e o momento da aposentadoria não são consequências do “acaso”. Pelo contrário, os seus direitos previdenciários resultam do seu próprio histórico previdenciário. O valor e o momento da sua aposentadoria são um reflexo dos seus vínculos e das suas contribuições previdenciárias durante toda a sua vida.

    Portanto, se você deseja se aposentar mais cedo ou com um valor maior, deve traçar a melhor estratégia para esta finalidade quanto antes. E o planejamento previdenciário é o melhor caminho para identificar os seus próximos passos rumo a uma aposentadoria ideal.

    Agora que você já sabe o que é o planejamento previdenciário, deve estar se perguntando para que serve. Ou seja, qual a utilidade do planejamento previdenciário.

    De forma resumida, eu costumo dizer que o planejamento previdenciário serve para garantir tranquilidade e segurança para aquelas pessoas que pretendem receber uma aposentadoria justa. Em tempos de reforma da previdência, entender seus direitos previdenciários se tornou uma tarefa bastante complexa.

    Portanto, se planejar para a aposentadoria acaba sendo a melhor forma de encarar as dificuldades impostas pela legislação previdenciária. Mas essa é apenas a utilidade mais “genérica” do planejamento previdenciário. De forma mais p”.

    Como fazer o cálculo do benefício previdenciário?

    O Fator Previdenciário é um índice aplicável na renda mensal inicial da Aposentadoria por Tempo de Contribuição, criado pela Lei 9.876/99 em 29 de novembro de 1999.

    O cálculo do fator considera o tempo de contribuição do segurado, a expectativa de sobrevida dos brasileiros publicada anualmente pelo IBGE e a idade do segurado quando se aposenta.

    A finalidade do fator previdenciário é desestimular as aposentadorias precoces, ou seja, estimular o brasileiro trabalhar por mais tempo antes de se aposentar. Isso ocorre porque quanto menor for o tempo de contribuição e a idade, menor é o fator e quanto maior forem, maior será o fator.

    Como o fator é um multiplicador aplicado no salário de benefício, isso faz com que ele reduza a renda mensal inicial do benefício, que é o valor da aposentadoria do trabalhador.

    Após todos os cálculos e definição do salário de benefício, multiplica-se o resultado pelo Fator Previdenciário. Se o índice for menor que 1, funcionará como um redutor do benefício; se o índice for maior que 1, funcionará como um majorador do benefício.

    Exemplo:

    • f = Resultado do fator previdenciário
    • Es = Expectativa de sobrevida calculada pelo IBGE
    • Tc = Tempo de contribuição do segurado
    • Id = Idade do segurado
    • a = alíquota fixa de 0,31

    Qual é o melhor programa de cálculo previdenciário?

    Qual programa de cálculo previdenciário devo escolher? Siga com a leitura e confira o compilado de informações que nós, da Fusionsj, preparamos, para te ajudar a tomar a melhor decisão.

    Se você trabalha com o direito previdenciário, sabe o quanto os cálculos são importantes, com eles é possível analisar todas as possibilidades e conseguir a melhor aposentadoria para os seus clientes.

    Sem dúvidas, a rotina de todo advogado envolve diversos tipos de burocracias, cobranças, análises, prazos e muito, mais muitos cálculos. Afinal, são eles que definem os valores exatos que serão recebidos pelos segurados.

    Por esse motivo, adotar sistemas automatizados é uma estratégia inteligente para proporcionar mais produtividade, assertividade e, consequentemente, mais lucratividade aos profissionais.

    Em um cenário volátil e competitivo como Direito Previdenciário, os sistemas de cálculo previdenciário se tornaram aliados indispensáveis para os advogados que desejam se destacar.

    Quer descobrir o porquê? Confira, nos próximos tópicos, tudo o que essa solução pode proporcionar para a sua carreira!

    Quando se trata de cálculos previdenciários, é certo que qualquer imprecisão, por menor que seja, pode gerar consequências negativas e comprometer os benefícios dos seus clientes.

    Mas, a boa notícia é que existem sistemas especializados em cálculos previdenciários como o Prévius, que é projetado para automatizar os processos complexos e reduzir erros humanos, oferecendo resultados mais confiáveis e precisos.

    Ao utilizar essa ferramenta, os advogados previdenciários evitam inconsistências e reduzem o risco de erros, proporcionando uma base sólida para suas argumentações.

    A rotina de um advogado previdenciário é repleta de prazos, tarefas e demandas constantes. Com a utilização de sistemas de cálculo previdenciário, é possível acelerar consideravelmente o processo e, consequentemente, aumentar a produtividade.

    Essas ferramentas permitem a realização de cálculos complexos de forma ágil, poupando tempo e liberando os profissionais para se concentrarem em atividades estratégicas, como a análise de casos e a elaboração de argumentos jurídicos mais completos e persuasivos.

    Por automatizar e simplificar os cálculos previdenciários, os sistemas especializados contribuem para que os advogados previdenciários lidem com um número maior de casos e atendimentos. Isso ocorre por conta da redução do tempo gasto em tarefas repetitivas e da garantia de maior precisão – fatores essenciais para que os profissionais possam aumentar a sua carteira de clientes e, como consequência, a receita do escritório.

    Agora que você já sabe sobre as vantagens de um sistema de cálculos previdenciários, confira a seguir a resposta para uma pergunta frequente no universo previdenciarista:

    Se você pensou em fazer Direito para fugir dos cálculos, com certeza, já percebeu que não é bem assim. Não dá pra fugir deles, principalmente no caso dos previdenciaristas. Afinal, só com os cálculos é possível identificar todos os cen.

    Quem faz os cálculos dos atrasados do INSS?

    Atrasados do INSS: o que você sabe sobre o assunto? Preciso destacar que, para milhões de beneficiários, esse tema é extremamente importante, uma vez que ele envolve o pagamento justo das aposentadorias ou de outros tipos de benefícios.

    Sendo assim, quem já pediu ou pretende pedir algum benefício previdenciário, precisa entender tudo sobre os valores atrasados. Pensando em tudo isso, eu preparei este conteúdo esclarecedor para você. Continue a leitura e confira o que são, quando e como receber os valores atrasados de seu benefício!

    Os atrasados do INSS são pagamentos que a Previdência Social deve aos seus beneficiários e que, por algum motivo, estão em atraso. Esse tipo de situação pode ocorrer por diversas razões, seja erro no processamento ou falha no pagamento da parcela devida.

    Além disso, os atrasados devidos pelo INSS podem ser referentes a pagamentos de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, entre outros benefícios oferecidos pelo próprio Instituto Nacional do Seguro Social.

    Observação: os atrasados começam a ser contados desde a data que você pediu o benefício ou desde que a concessão para o benefício foi feita pelo INSS.

    É importante lembrar que os atrasados são uma forma de garantir que o benefício será pago de forma correta, e, caso isso não ocorra, é possível recorrer aos órgãos responsáveis para assegurar o direito do beneficiário.

    Na verdade, existem duas maneiras de pedir o pagamento do seu benefício atrasado. Confira quais são elas:

    • Requisição direta ao INSS
    • Pedido por via judicial

    Nesse caso, é necessário que o beneficiário faça uma requisição diretamente ao INSS, fornecendo todas as informações necessárias. Se houver a liberação dos atrasados, você recebe uma carta, que é enviada ao seu endereço residencial. Confira as informações da carta, sobretudo, os valores liberados.

    Você também pode fazer o pedido de pagamento dos atrasados do INSS por via judicial. O processo é mandado para um Contador Judicial, que realiza os cálculos e mostra qual o valor que o INSS precisa pagar ao beneficiário.

    Os atrasados do INSS podem entrar em uma de duas categorias (valores da causa). São elas:

    • Requisição de Pequeno Valor (RPV)
    • Precatório

    Quanto cobrar para fazer cálculos previdenciários?

    É muito importante que o segurado acompanhe todo o seu histórico de contribuições para que, no momento certo, possa requerer a aposentadoria sem enfrentar grandes problemas. O cálculo previdenciário leva em consideração uma análise das documentações do segurado para o fim de calcular o tempo de contribuição, carência e idade, além de revisões de benefício.

    Para isso, nosso escritório realiza a elaboração de cálculos de tempo de contribuição, valor da renda mensal inicial do benefício, cálculo de valor da causa e análise de direitos. O cálculo elaborado por um profissional especialista em direito previdenciário, é um instrumento de prova importante para apresentar junto com o requerimento de aposentadoria, pois auxilia o servidor do INSS em suas análises. Também deve ser apresentado em breve nossos especialistas entrarão em contato com você.

    Posso utilizar o simulador do INSS?

    Você já deve ter reparado que é possível simular a aposentadoria nas plataformas digitais do INSS, pela internet através do site Meu.INSS ou pelo aplicativo. No entanto, essa simulação não é totalmente confiável, caso constem informações de pendência no CNIS, ausência de salários de contribuição, vínculos em aberto, enfim. Também não são considerados os períodos de atividade rural, segurado especial, pessoa com deficiência, dentre outros fatores específicos para determinados tipos de aposentadoria.

    Qual é o valor do serviço de cálculo previdenciário?

    O valor do serviço de cálculo previdenciário depende de cada profissional e também da complexidade do caso, podendo variar entre 1 (um) e 3 (três) salários-mínimos. Em geral, o valor mínimo é estabelecido pela Tabela de Honorários Advocatícios da Ordem dos Advogados do Brasil, de acordo com cada Estado. A forma de pagamento normalmente se divide em duas etapas, sendo uma entrada no início dos trabalhos e o restante na entrega do serviço. Ainda ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco e saiba mais.

    Veja mais
    Vida toda inss

    Como está a situação da revisão da vida toda do INSS? O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para quarta-feira (3) a análise de um recurso

    Leia mais >
    Vida inteira inss

    Quem tem direito à revisão da vida inteira? É que, apesar de a decisão não ter sido especificamente sobre o recurso que discute a revisão,

    Leia mais >
    Abrir conversa
    Fale com um especialista!
    Olá 👋, precisa de ajuda com Análise previdenciária? Fale agora com um especialista pelo WhatsApp! Estamos prontos para ajudar.